O que você está procurando?

Todos os anúncios

Total de Ofertas

40

"EXÉRCITO SE APRESENTA COMO UMA SOLUÇÃO PARA OBRAS DA FIOL", DIZ IVANA BASTOS

Especial

Domingo, 13 de Setembro de 2020





"Uma transformação econômica está prestes a acontecer na Bahia", afirmou a presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), deputada Ivana Bastos após o presidente Jair Bolsonaro formalizar, nesta sexta-feira (11), a parceria com o Exército Brasileiro para a construção de um trecho de 18.3 km da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), na Bahia.



O ato foi selado com a assinatura de um Termo de Execução dos Serviços (TED), no município de São Desidério (BA). A concessão do empreendimento está sendo viabilizada pela Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, empresa pública ligada ao Ministério da Infraestrutura. O 4º Batalhão de Engenharia de Construção, de Barreiras/BA, e o 2º Batalhão Ferroviário, de Araguari/MG, serão responsáveis pela conclusão do lote.



O governo Federal colocou sob responsabilidade do Exército as obras do Lote 6, próximo ao município de  Correntina. Esse trecho é o pedaço mais atrasado da obra. O Exército vai ter que iniciar praticamente todos os serviços desde a fase de terraplanagem, já que o consórcio que começou a obra pediu recuperação judicial. O Investimento inicial será de aproximadamente R$115 milhões e a previsão é de que a obra seja concluída em dois anos



"Quando fui presidente da Comissão Especial da Fiol e Porto Sul na Assembleia Legislativa da Bahia fiz diversas audiências públicas e reuniões com a Valec, Ibama, TCU, para sanar os entraves das obras. Vejo nessa atitude de deixar o Exército como empreiteira do governo uma resposta acertada para que as obras tenham início, meio e fim", afirmou a presidente.



A expectativa, segundo a presidente, é de que com as operações em pequena escala da Bamin, no município de Caetité, para a produção e comercialização de minério de ferro, bem como a assinatura da ordem de serviço para a execução da primeira fase das obras do Porto Sul, em Ilhéus, o governo acelere a conclusão das obras. "Todo o ciclo está se fechando. Já temos a Bamin produzindo e comercializando minério, logo teremos as obras do Porto Sul acontecendo e a concretização da Fiol. Então vamos ter uma redenção econômica no estado", finalizou Ivana Bastos.




Ass. Comunicação


Últimas Notícias

Edições Anteriores

NOVEMBRO-2020

O POPULAR