O que você está procurando?

Todos os anúncios

Total de Ofertas

57

COMISSÃO CONJUNTA APROVA GRANDE MOBILIZAÇÃO EM DEFESA DA FIOL, PORTO SUL E DA PONTE SALVADOR-ITAPARICA

Política

Quinta-Feira, 23 de Março de 2017

Uma reunião otimista, entusiástica e mobilizadora para defender as obras estruturantes da Bahia. Esse foi o sentimento de quem presenciou a sessão conjunta das comissões da Fiol e Porto Sul e Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo da Assembleia Legislativa da Bahia, realizada na manhã desta quarta-feira (22), com a presença do vice-governador João Leão, que tratou da visita do grupo de investidores chineses nos trechos da Fiol e o andamento do projeto da Ponte do Desenvolvimento que liga Salvador a Itaparica.



Um dos resultados do evento, promovido pela presidente da comissão que trata dos assuntos da Ferrovia Engenheiro Vasco Azevedo Neto – antiga Fiol – e Porto Sul, deputada Ivana Bastos e pelo presidente da comissão de Infraestrutura, Hildécio0 Meireles, foi a aprovação de uma sessão especial para que todos os deputados possam elaborar um documento, e seguir em caravana a Brasília com o objetivo de pressionar o Governo Federal para assegurar os investimentos nas obras.



Durante a apresentação do vice-governador sobre o andamento dos empreendimentos, surgiram diversos questionamentos sobre prazos, valores, detalhes dos projetos, empenho do governo, dentre outros. Sobre a Fiol, Leão destacou que a concessão da obra será realizada em julho, mas falta ainda decidir na modelagem do processo o prazo de concessão para que os chineses confirmem o interesse. No modelo atual, o governo prevê um período de concessão de 20 anos, e os chineses defendem a concessão no prazo de 30 anos.



Já sobre a ponte, o vice-governador detalhou que os estudos hidráulicos, de engenharia, licença ambiental, plano urbanístico e intermunicipal já estão concluídos, assim como a modelagem da primeira concessão está pronta. De acordo com Leão, a obra beneficiará substancialmente o estado da Bahia desde a sua construção, já que só nesse período serão arrecadados pelo Estado R$ 600 milhões e R$ 1.2 bilhões pelo Governo Federal. Quando pronta, a ponte que hoje custa R$ 7.5 milhões para construir, acrescentará na receita do estado 12.5 bilhões e R$ 20 bilhões na receita da União. Além de um crescimento natural da ilha e do entorno.



“Dinheiro não é o problema. O problema é viabilizar o parceiro. Para nós fazermos isso temos que ter a parceria com o Governo Federal. Por isso, ressalto a importância da bancada baiana ir até Brasília e dizer: 'nós queremos a realização dessas obras'”, afirmou o vice-governador.



Após o debate, a deputada Ivana Bastos garantiu que os membros da comissão da Fiol, da comissão de Infraestrutura e também da Comissão de Desenvolvimento Urbano serão ponte nesse processo, independentemente de posição partidária. “Falamos aqui que essas obras estruturantes para a Bahia e para o Brasil não tem partido. Vamos mobilizar o maior número de deputados, empresários, prefeitos, membros da sociedade civil e seguiremos para Brasília para dizer que não vamos desistir da concretização da ferrovia, do porto e da ponte. Essa reunião foi muito importante, pois nos foi apresentado detalhadamente como está a situação de cada uma delas e de que forma podemos correr atrás”, ressaltou a deputada.



Estavam presentes ainda, o presidente da Assembleia, Ângelo Coronel, e mais 22 deputados da Casa, entre membros e não membros das comissões. Além do superintendente da Valec, Walter Barbosa, do diretor de Logística da Bamin, Aildo Fonseca, do presidente do CREA-Ba, Marco Antônio e do diretor da Agerba, Neville Barbosa.


Ass. Imprensa- CAMILA QUEIRÓS


Últimas Notícias

Edições Anteriores

MARÇO-2020

O POPULAR