O que você está procurando?

Todos os anúncios

Total de Ofertas

44

BOLSONARO CITA CHANTAGEM DE MORO E DISSE QUE NUNCA PEDIU BLINDAGEM

Política

Sexta-Feira, 24 de Abril de 2020

O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento na tarde desta sexta-feira (24) após o anúncio de demissão do ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro.



Bolsonaro disse que Moro teve a oportunidade de indicar todos os quadros relacionados à sua pasta, mas que, segundo a lei, é responsabilidade do presidente indicar o diretor-geral da Polícia Federal.



O presidente afirmou que “está lutando contra o sistema” e que coisas que aconteciam no Brasil, “não acontecem mais”. Também falou sobre a “perseguição” que sua família sofre da imprensa.



Sobre as definições de cargos da pasta da Justiça, o que, segundo Sérgio Moro foi o motivo de sua demissão, Bolsonaro questionou: “Se eu posso trocar um ministro, porque eu não posso trocar o diretor da Polícia Federal”.



O presidente disse que a Polícia Federal se preocupou mais com o caso Marielle Franco do que com o crime cometido por Adélio Bispo. “Nunca pedi a Polícia Federal me blindasse”, enfatizou.



Bolsonaro diz que implorava por informações sobre a pasta a Sérgio Moro, mas que “nunca pediu o andamento de qualquer processo”.



Citou o caso de Maurício Valeixo, diretor-geral da PF exonerado no dia de hoje, e disse que informou Moro da exoneração.



O presidente diz que foi chantageado pelo ex-juiz sobre a troca na direção da PF, o que deveria ocorrer somente após a indicação de Moro para o Supremo Tribunal Federal (STF).



Salientou que nunca pediu blindagem para ninguém da sua família, mas lamentou nunca ter sido defendido pelo ex-ministro.



Acabou por não explicar algumas acusações do ex-juiz, como sua assinatura na exoneração de Valeixo e a tal “carta branca” dada a Sérgio Moro se provou não verdadeira.


G1- FOTO: TWITER PESSOAL


Últimas Notícias

Edições Anteriores

NOVEMBRO-2020

O POPULAR