O que você está procurando?

Todos os anúncios

Total de Ofertas

25

MEMÓRIAS DE GUANAMBI- MARIA PUXADINHA

MEMÓRIAS DE GUANAMBI

Sexta-Feira, 29 de Dezembro de 2023


Quem morou no Bairro Vila Nova na década de 70 e 80, com certeza conheceu essa figura ilustre que se chamava "Maria Puxadinha". Seu apelido, fazia jus aos seus cabelos finos e crespos, que formavam pavios ou finas puxadas.

Mas quem foi Maria? Uma menina alegre e sorridente, que ainda muito nova foi violentada, fato este, que a deixou com a mente perturbada.

Em Guanambi, vivendo na companhia do casal Mário Botelho de Andrade e Silva e Maria Anísia Teixeira Silva, Maria realizava diversas tarefas, como carregar água, cortar lenha, varrer quintal, lavar roupas, torrar café, fazer sabão, dentre outras. Mas era completamente avessa ao banho, não trocava de roupa e, quando o vestido estava rasgando, ela vestia outro por cima. Tinha nos pés uma crosta, pois nunca usava sapatos.

Com a morte de “Dona Anísia”, Puxadinha não se adaptou nas casas de outros membros da família. Por essa razão foi construído um quartinho, cuja “porta”, era um buraco aberto na parede que dava acesso à Rua Pereira Barreto, no Bairro Vila Nova, onde conviveu pacificamente com crianças e adultos. Pedia comida em todas as casas e distribuía para os gatos e cachorros da rua. Sempre tratava as pessoas como “sinhô” e “sinhá”.

Após muitos anos, foi levada para viver no Abrigo dos Velhos de Guanambi, mas novamente não se adaptou e voltou a morar no seu antigo quartinho, onde faleceu depois de algum tempo.

Até hoje, a lembrança de Maria Puxadinha permanece viva na memória dos moradores do Bairro Vila Nova.





Fonte: Terezinha Teixeira Santos, Uma Lagoa nas trilhas das tropas





Últimas Notícias

Edições Anteriores

JANEIRO

O POPULAR