O que você está procurando?

Todos os anúncios

Total de Ofertas

41

FUMAÇA DE CHURRASCO PODE CAUSAR CÂNCER DE BOCA

Saúde

Segunda-Feira, 23 de Outubro de 2017



A fumaça de fogão de lenha e de churrasco pode provocar câncer de boca. Esse é o resultado alarmante de uma pesquisa científica desenvolvida por um dos mais conceituados oncologistas do país, o professor Luiz Paulo Kowalski, diretor do departamento de cirurgia de cabeça e pescoço do Hospital de Câncer A.C. Camargo, de São Paulo, professor da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) e uma das maiores autoridades mundiais em câncer de boca, com várias publicações no Exterior.

O estudo revelou que pessoas que comem churrasco ou carne grelhada mais de três vezes por semana têm de cinco a sete vezes mais possibilidade de desenvolver o câncer de boca. O problema está na fumaça do carvão para grelhar o churrasco, afirma o oncologista. A fumaça contém agentes causadores de câncer que ficam impregnados na carne e, em contato direto com a boca, podem provocar a doença.

O fogão de lenha, sinônimo de nostalgia e de comida saborosa, também tem efeito nocivo. O problema é o mesmo que no churrasco. A fumaça da lenha aumenta em duas vezes as chances de se desenvolver o câncer de boca.

Neste caso, a pesquisa, desenvolvida há cinco anos pelo Instituto Ludwig de Pesquisas sobre o Câncer, do Hospital de Câncer de São Paulo, constatou que numa casa com fogão de lenha há oito vezes mais quantidade de partículas em suspensão com agentes causadores de câncer do que em ambiente limpo.

As medições foram feitas em Rio Branco do Sul e Bocaiúva do Sul, municípios da Região Metropolitana de Curitiba (PR) onde, devido ao frio, muitos camponeses ainda utilizam o fogão a lenha.

O estudo teve a colaboração da universidade japonesa de Tokay, que fez as visitas nas casas. "A questão é a poluição ambiental. A fumaça em contato com a boca é que provoca o câncer", diz Kowalski. Ele explica que a fumaça proveniente da queima da lenha e do carvão do churrasco tem característica diferente da fumaça do cigarro, que contém nicotina, embora ambos os tipos sejam fatores de risco. O estudo analisou ainda outros fatores de risco, como o tabaco, o álcool, o chimarrão, o uso de prótese dentária e a alimentação.

A pesquisa confirmou que todos esses fatores exercem influência no desenvolvimento do câncer bucal, incluindo o uso de prótese que não se adequa à boca ou que machuca. Nesse caso, os riscos de aparecimento de câncer aumenta em duas a três vezes.

A pesquisa teve como base dados comparativos de 700 pacientes de três hospitais - o Hospital de Câncer de Curitiba, o Hospital de Câncer de Goiânia e o Complexo Hospitalar Heliópolis de São Paulo.





 


 


JORNAL DO VALE.COM


Últimas Notícias

Edições Anteriores

OUTUBRO-2019

O POPULAR

Rua Aloisio Azevedo, n°260 - Bairro Villa Nova
(77) 3451-5116