O que você está procurando?

Todos os anúncios

Total de Ofertas

42

GRUPO DE DANÇA QUILOMBO DOS ANJOS ASSESSORADO PELO CESOL SERTÃO PRODUTIVO ENALTECE CULTURA NEGRA

Cultura

Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020

Arte, resistência e valorização da cultura. Essas são apenas algumas palavras que cabem bem para representar o Grupo de Dança Quilombo Dos Anjos. Dos ritmos africanos, do axé, afoxé e capoeira, o grupo não incentiva apenas as crianças a se movimentarem, mas tem feito com que toda a comunidade se movimente junto com a valorização da cultura negra.


O Grupo de Dança Quilombo dos Anjos surgiu a partir da iniciativa de Carlúcia Alves, 19 anos. No ano de 2017 ainda aos 16 anos de idade a jovem reuniu crianças para uma apresentação no dia das mães em resposta ao convite do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) no município de Candiba, onde está localizado o Quilombo Lagoa do Anjos, lugar onde residem os integrantes do Grupo.


Foi a partir desse convite que os primeiros passos do Grupo foram dados, pois Carlúcia Alves percebeu que a dança poderia ser uma boa alternativa para distanciar as crianças de vulnerabilidades próximas ao lugar em que moram. Também tem sido a maneira de valorizar as raízes culturais e identitárias, o que contribui para a autoestima não só dos que dançam, mas de todos da comunidade. De lá para cá o Grupo tem muitas e boas histórias para contar.


Foi finalista do Prêmio Criativos da Escola por dois anos consecutivos, inscritos através do Colégio Estadual Antônio Batista, a premiação era voltada para projetos desenvolvidos por crianças e jovens que impactam positivamente nas escolas ou municípios onde moram. Em dezembro do ano 2019, os integrantes do Grupo viajaram até a capital baiana para participar de uma feira de ciências.


Os bons frutos não pararam por aí não, também no ano de 2019 os candibenses ficaram conhecidos nacionalmente ao participarem do programa de televisão Como Será da Globo. A proposta do programa era apresentar projetos de jovens engajados em melhorar o lugar em que vivem. Carlúcia Alves foi uma das escolhidas e representou muito bem a comunidade, o projeto é tão inspirador que a jovem foi convidada a participar da escrita do livro Cartas à Jovens Educadores.


O adolescente, Binho Silva, 17 anos, integrante mais velho do Grupo destaca como o projeto de dança tem mudado os passos em direção ao futuro “[...] quando eu entrei no grupo não sabia dançar, era terrível, não era bem visto na sociedade [...] O grupo de dança pra mim é uma família, sinto muito bem no grupo, quero mostrar para as outras pessoas da minha idade que mexer com drogas e bebidas não levam a lugar nenhum [...] Eu nunca pensava em minha vida fazer o Enem, esse ano Carla falou pra eu fazer, então em minha vida mudou tudo”, afirmou Binho entusiasmado e ansioso para novas apresentações.


Algumas mães dos integrantes do Grupo também são envolvidas com a arte, pois produzem peças artesanais que são comercializadas nas feiras da cidade de Candiba com o objetivo de complementar a renda. E o mais interessante é que o dinheiro arrecadado através da venda dos artesanatos auxilia no custeio das confecções dos figurinos dos filhos. O Grupo também já fez campanha beneficente para confeccionar as roupas, e é assim usando da criatividade e da união que Carlúcia e as crianças seguem dançando sem sair do ritmo.


A parceira com o Centro Público de Economia Solidária (Cesol) Sertão Produtivo, que é gerido pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável Baiano (IDSB), resultado de uma política pública do Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) surgiu a partir de outubro de 2019.


Para Leiliane Aranha, Coordenadora do Cesol Sertão Produtivo “é um desafio assessorar esse empreendimento e também uma satisfação por ser um diferencial”. Esse é o único empreendimento cultural assessorado pelo Cesol Sertão Produtivo com o foco em dança, portanto é uma parceria que exige novas estratégias, mas o desafio do novo não diminui o orgulho em assessorar um projeto tão relevante e inspirador.


 


Texto: Fabiana Santos – Jornalista do IDSB/Cesol Sertão Produtivo





Últimas Notícias

Edições Anteriores

SETEMBRO- 2020

O POPULAR