O que você está procurando?

Todos os anúncios

Total de Ofertas

42

GUANAMBI 95 ANOS: CHICO SATÉLITE- O ETERNO FÃ DE WALDICK SORIANO

Especial

Terça-Feira, 12 de Agosto de 2014



Na incontrolável vontade de valorizar tipos populares que fazem a história folclórica de Guanambi, não poderia omitir a figura de "CHICO SATÉLITE".



Francisco do Carmo Nascimento (Chico Satélite) era filho do casal Maria Pereira Carmo e Antônio Pinto Nascimento, nasceu no dia 26 de maio de 1939, . Tinham vários irmão, que juntos constituíram uma família unida, honesta e trabalhadora. Conhecida como família dos "Piriquitinho". Chico, como era chamado pelos parentes e amigos, estudou no Grupo Escolar Getúlio Vargas, sabia ler e escrever e era conhecedor dos números. Cresceu forte, tornando um homem robusto, corajoso e valente. Porém seu comportamento divergente, demonstrava uma fraqueza mental. Certo dia decidiu abandonar a casa de seus pais, e, por muito tempo, ficou perambulando, pelas ruas, até fazer a sua morada no pátio da Igreja Matriz, onde dormia ao relento e sobre papelões.  Era amigo das barraqueiras da feira livre, as quais ele ajudava em várias tarefas e inclusive carregando água. Muito religioso, não faltava às procissões e era ele o encarregado de soltar os fogos da alvorada. Também gostava de permanecer em velório, acompanhando o féretro até o cemitério, seguindo sempre a frente, comandando o cortejo. Frequentador assíduo dos bares, principalmente da venda de NEM, onde não lhe faltava uma boa pinga. Embora mostrasse ser passivo, ficava bravo quando alguém o chamava de "PURÃO", "BARRÃO" ou de "CHICO SATÉLITE".



Escondia uma grande força física e por qualquer brincadeira, chamava seu agressor para a briga. Ele muitas vezes ela usava paus, pedras e até mesmo garrafas de vidro para atacar seus algozes. Chico gostava também de animais, e teve por muitos anos, uma cachorrinha chamada "MARIANA" com quem conversava, exigindo da mesma obediência. Tinha também admiração pelo cantor Waldick Soriano de quem era amigo, e com a mão direita  imitando um microfone, cantava as músicas de seu ídolo, principalmente as mais românticas.  Um dia Chico sofreu uma enfermidade na perna, trazendo-lhe muitas dificuldades. A falta de cuidados e o uso incorreto de medicamentos,  agravou sua situação, mais tarde sofreu um AVC e faleceu no dia 21 de outubro de 1993. Faleceu Chico Satélite, mas ficou uma história de vida, deixando no imaginário de muitas pessoas boas lembranças e muitas recordações na vida de seus conterrâneos.



TEXTO: Extraído do Livro "LEMBRANÇAS DE UM POVO" da escritora Terezinha Teixeira dos Santos. (2002)


 


Escritora Terezinha Teixeira Santos


Últimas Notícias

Edições Anteriores

SETEMBRO- 2020

O POPULAR